ORAÇÃO: Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou: Tudo o que DEUS quer é que confiemos nele ; No meio de nossas dificuldades, temos Jesus junto ao Pai no céu para interceder por nós.;RELACIONAMENTO DE PAIS E FILHOS . Graça e Paz;A oração que se eleva até o céu é a do coração.;Segredos para uma oração bem recebida; Consolo para o Aflito;














 Consolo para o Aflito
Muitas são as aflições do ser humano; todos, passaram, estão passando ou, passarão por elas. Várias são as necessidades: alimento, água, ar, amor, companhia, realização, esperança, consolo; Por vezes o desânimo e a tristeza, teimam em nos dominar, chegamos às raias do desespero, procuramos socorro por todo lado, família, amigos, conhecidos, líderes espirituais e nada de luz no fim do túnel.

A Bíblia nos encoraja a permanecer firmes e a perseverar na fé: Através de muitas tribulações, nos importa entrar no Reino de Deus: At. 14.22.

A tribulação faz parte da vida do servo do Senhor, mas, o consolo também, Deus não perdeu o controle da situação, Ele não nos esqueceu, veja o que ele diz em Isaias 49.13-15: Exultai, ó céus, e alegra-te, ó terra, e vós, montes, estalai com júbilo, porque o SENHOR consolou o seu povo, e dos seus aflitos se compadecerá. Porém Sião diz: Já me desamparou o SENHOR, e o meu Senhor se esqueceu de mim. Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.

Pode confiar, Deus é fiel à sua Palavra

O propósito do consolo celestial é inspirar-nos a dirigir e olhar para o que Deus ainda vai realizar

O apóstolo João, com mais de 90 anos, no fim da vida, ainda olhou para o futuro, quando estava na ilha de Patmos, escrevendo o livro de Apocalipse. Foi arrebato no espírito e teve visões fantásticas do que iria acontecer no fim dos tempos. Com elas, recheou as páginas do mais extraordinário livro das Escrituras; ele se interessava pelo que Deus ia fazer e, ainda acreditava nos dias que viriam, ainda esperava algo da vida, apesar das muitas aflições, tribulações e sofrimentos

O consolo celestial não é um conforto qualquer, não foi feito de promessas vazias. Ele é dado pelo próprio Rei da glória que nos dá toda a garantia, pois controla todo o universo e, vela por fazer cumprir a sua Palavra: E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la.(Jr. 1.12)

Por vezes, deixamos de ver a mão de Jesus nos acontecimentos, vítimas de uma verdadeira miopia espiritual, Ficamos assustados com os fatos e, desanimados entregamos os pontos, nem percebemos que mão do Senhor está operando por trás de tudo, promovendo restauração, cura, libertação e socorro em meio às aflições.

Jesus disse á João em Apocalipse 1.18: Sou aquele que vive. Estive morto mas, agora estou vivo para todo o sempre! Ele diz também a mim e a você: Não temas!! Ele manda o consolo e livramento, pois sabe o que sentimos

Onde houver uma pessoa precisando de Jesus, passando por aflição, Ele estará ali, independente do lugar; O Senhor dará conforto, enxugará dos olhos toda a lágrima.

Só precisamos permitir que o cuidado, a promessa e a presença de Cristo consolem o nosso coração.

Lembre-se Jesus não mostra a luz no fim do túnel. ELE É A LUZ NO TÚNEL OU EM QUALQUER LUGAR.

Lidiomar T. Granatti





Graça e Paz






 Segredos para uma oração bem recebida


1. ORAR. Não basta saber que temos que orar, não basta falar de oração, fazer estudo sobre oração, temos que orar. – “Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes” Jr. 33.3

2- Nossas orações não serão atendidas se não tivermos fé genuína, verdadeira. "Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes! Tudo é possível ao que crê." Mc 9.23 "E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados."Tg 5.15

3- Nossas orações devem ser feitas em nome de Jesus, ou seja, devem estar em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor -"E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei." João 14.13-14

4- A nossa oração deve ser feita segundo a vontade de Deus que, muitas vezes, nos é revelada pela sua palavra, que por sua vez deve ser lida com oração. “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.", Mt 6.10 "venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;" I Jo.5.14

5- Para uma oração eficaz, precisamos ser perseverantes -"Perseverai na oração, vigiando com ações de graças."Cl.4.2; "Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro." Sl. 40.1

6- O cristão deve orar em todo o tempo. 1Ts 5.17 "Orai sem cessar." Ef 6:18 "com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos". É um estado permanente de comunhão com Deus. É uma condição que não dá lugar para ser atingido pelos dardos inflamados do inimigo, pois seu espírito está sempre alerta, através da oração.

Uma idéia original

Um garoto guardava seu rebanho, na manhã de um Domingo.

Os sinos repicavam, chamando os fiéis à igreja, e o povo passava, dirigindo-se para lá.

Então o menino começou a pensar que também gostaria de orar a DEUS: mas o que poderia dizer, visto que nunca havia aprendido nenhuma oração?

Não obstante, ajoelhou-se e começou a falar as letras do alfabeto: a, b, c, ...até z.

Sucedeu passar por ali um senhor que ouvindo a voz da criança, espiou através do arvoredo e viu o menino ajoelhado, com as mãos unidas e os olhos fechados, a dizer o ABC.

– Que está fazendo, garoto?

– Estou orando. Não sei nenhuma oração, mas sei que preciso de DEUS para cuidar de mim e do meu rebanho; então pensei que, se dissesse as letras do alfabeto, Ele as colocaria em ordem e soletraria as palavras que correspondem as minhas necessidades.

DEUS te abençoe, menino! Ele fará isso! Quando o coração fala bem, os lábios não podem falar mal.

A oração que se eleva até o céu é a do coração.

Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz





REFEIÇÃO MATINAL

Senhor Jesus, obrigado por este dia,
Pela noite de descanso,
Por esta refeição e pela maneira
Como sempre somos abençoados.



Nosso Pai, todos os dias nos dás
A comida com a qual nosso corpo sobrevive.
Por isso, agradecemos a Ti, de coração,
E rogamos que, no começo deste dia,
Permitas que nossos olhos vejam
Tua infinita generosidade
E que, estando assim satisfeitos,
Façamos somente aquilo que Tu desejas.



Senhor Jesus, obrigado por estes dons
E pelo que cada um deles revela.
Obrigado por tua benignidade que eleva
Nosso coração a louvores do meio-dia.




Pai, somos gratos por esta hora
Para sentarmos e extrairmos do teu poder
Demonstrado na chuva e no sol.
E derramado em cada grão de cereal.
Que esta refeição, produzida por Ti
E colocada graciosamente diante de nós,
Restaure nossa força nas próximas horas,
Para que sejas o senhor de todo o nosso poder.

Senhor Jesus, vem à nossa refeição
E abençoa para nós este alimento.
Onde a fé é fraca, revela, Senhor querido,
Que tudo que nos dás é bom.



Pai, quão fiel é o teu cuidado!
De novo e como sempre, eis a comida!
Novamente, tens colocado diante de nós

Uma refeição, e rogamos que signifique mais
Do que apenas pessoas supridas de alimento.
Senhor, faze que tenhamos disposição amável
E, enquanto renovas o nosso corpo,
Vem e alimenta também nossa união.



Pai gracioso, Tu és um Deus que ouves a oração.
Queremos ter comunhão contigo, em oração, todos os dias.
Agradecemos-Te por todos os dons que temos —
Vida, respiração e tudo mais.
Ensina-nos como formular expressões espontâneas
De exultação (e súplica) em tempos regulares
E disciplinados na hora de oração — como nas horas de refeição.
Não permitas que abandonemos os doces hábitos de gratidão.
Impele-nos a orar, sempre e sempre.
Ouve-nos, em nome de Jesus. Amém.







Tudo o que DEUS quer é que confiemos nele .


Deus não permite ao homem conhecer o futuro. Tudo o que Ele quer é que confiemos nele no presente e descansemos nas suas promessas.
Acontece que ninguém tem o poder para revelar os
nossos dias.
Deus não deu a nenhuma pessoa poder para fazê-lo. Ele permite que vivamos apenas um dia de cada vez.
 E como foi com Moisés, o mar se abrirá.
Os obstáculos podem vir, situações as mais confusas podem surgir, mas é preciso caminhar, para
atravessar o mar .


“Pai, que a tua Palavra seja não apenas proclamada, mas que o nosso coração esteja faminto por ela, que seja mesmo a terra boa, onde a tua Palavra
caindo possa florescer, para a glória do teu nome. Que
juntos possamos celebrar o teu nome, estar em comunhão, amar e sermos também amados, Senhor. Que o
Senhor conceda graça, sabedoria, unção, mas acima
de tudo, que a sua Palavra provoque mais fome pelo
Senhor, a fome da salvação, da reconciliação da vida
eterna, em teu precioso nome, amém.”

O grande drama é o de vivermos a vontade de
Deus ou a nossa própria vontade, porque para Deus
o amanhã já é conhecido.
Ele tem tudo sobre  controle. É
saber que Ele é Pai que se compadece dos seus fi
lhos. Você e eu precisamos crer que os céus podem
passar, a terra deixar de ser, mas Deus cumpre a Sua
Palavra, Ele vela pela Sua Palavra, Ele é fiel.







Tudo o que DEUS quer é que confiemos nele .


Deus não permite ao homem conhecer o futuro. Tudo o que Ele quer é que confiemos nele no presente e descansemos nas suas promessas.
Acontece que ninguém tem o poder para revelar os
nossos dias.
Deus não deu a nenhuma pessoa poder para fazê-lo. Ele permite que vivamos apenas um dia de cada vez.
 E como foi com Moisés, o mar se abrirá.
Os obstáculos podem vir, situações as mais confusas podem surgir, mas é preciso caminhar, para
atravessar o mar .


“Pai, que a tua Palavra seja não apenas proclamada, mas que o nosso coração esteja faminto por ela, que seja mesmo a terra boa, onde a tua Palavra
caindo possa florescer, para a glória do teu nome. Que
juntos possamos celebrar o teu nome, estar em comunhão, amar e sermos também amados, Senhor. Que o
Senhor conceda graça, sabedoria, unção, mas acima
de tudo, que a sua Palavra provoque mais fome pelo
Senhor, a fome da salvação, da reconciliação da vida
eterna, em teu precioso nome, amém.”

O grande drama é o de vivermos a vontade de
Deus ou a nossa própria vontade, porque para Deus
o amanhã já é conhecido.
Ele tem tudo sobre  controle. É
saber que Ele é Pai que se compadece dos seus fi
lhos. Você e eu precisamos crer que os céus podem
passar, a terra deixar de ser, mas Deus cumpre a Sua
Palavra, Ele vela pela Sua Palavra, Ele é fiel.
No meio de nossas dificuldades, temos Jesus
junto ao Pai no céu para interceder por nós.


 Antes de dizer
qualquer coisa, lembre-se de que Ele é o Senhor.
Se nossa vida tem um Senhor, tudo que o diz
respeito a ela está debaixo da autoridade e da última palavra dele. Por contraponto, não tê-Lo como o Senhor é não permitir que Ele governe e haja na sua
vida. Não permitir que Ele reine em sua vida pode
ser a razão para não ver a intervenção Dele na sua
morte. Se o Senhor reinar sobre a sua vida, Ele pode
reinar também sobre os seus problemas.
Nossa salvação começou com a confissão de que
Ele é o Senhor de nossas vidas (Rm 10.9). Quando O
confessamos como Senhor e cremos, Ele nos salva.
Onde Ele se tornou dono, Ele interveio para tirar alguém da morte para a vida. Esse princípio espiritual é facilmente visto no âmbito natural. Em nossa casa,
intervimos de forma direta na organização, na limpeza, nos gastos de luz e água, no abastecimento
geral porque somos proprietários de nossas casas.
Não fazemos o mesmo na casa de outra pessoa,
pois ela não nos pertence.
Embora Deus, por sua graça, abençoe pessoas
de alguma forma, mesmo sem que elas O tenham
como Senhor de suas ações, sua bênção integral
não vem onde Ele não é Senhor. Sim, Ele é Senhor
de toda a criação. Contudo, por causa da liberdade
de escolha que o ser humano tem, ele pode decidir
por deixar Jesus reinar sobre ele ou não.
Não basta apenas dizer que Jesus é o Senhor. É
vital para a nossa existência deixar nossa vida ser
comandada por Ele, a fim de que ela se torne serva Dele. Uma das definições bíblicas para a palavra
“servo”é“alguém que se rende à vontade do outro”.
Se você tem se rendido à vontade do Senhor você é
servo Dele. Se você faz o que pensa e acha melhor,
então você é o senhor de sua história e não servo de
Deus. Seguir os mandamentos, as ordens de Deus, é
o que um servo faz para demonstrar na prática que
sua vida pertence ao Senhor.

Não permita que nenhuma área da sua vida fique fora do senhorio de Jesus. Financeira, emocional, espiritual ou familiar. Cada área de nossa vida
precisa estar debaixo das ordens de Deus para que
provemos da plenitude de Suas bênçãos.

Alguém certa vez disse:
“Não peça a Deus para
guiar seus passos se você não está disposto a mover
seus pés.”
Peça uma direção a Deus, mas se proponha a obedecer mesmo que você não a entenda.
Abraão obedeceu à ordem de Deus de sair de sua
casa e de sua parentela mesmo sem saber para
onde iria. Ele não conhecia todo o itinerário, porém
o dono da sua vida sabia exatamente para onde o
estava levando. O nosso Senhor é também o nosso

Bom Pastor, e nada nos faltará. Ele nos leva a pastos
verdejantes e a águas de descanso.
Confie. As direções de Deus são dadas passo a
passo. Foi depois que ele deu o primeiro passo de
obediência e saiu de onde estava que Abraão recebeu a promessa de Isaque. Tem promessas que só serão liberadas depois que obedecermos as direções de Deus. Um servo não precisa entender, precisa obedecer. Mesmo que seus
“Lázaros”estejam mortos, diga“Senhor”, antes de qualquer coisa.
Dizer“Senhor”também expressa quem Deus é.
É uma forma de adoração. É afirmar que Ele tem o
poder de decisão acerca de tudo, que é soberano
sobre todas as situações. Olhar para quem Ele é,
é fundamental para vivermos os milagres. Tire sua
atenção de quem Deus é, e coloque-a na morte à
sua volta e você terá sua fé abalada.
Para gerar fé em nosso coração, precisamos não
apenas saber sobre o milagre, mas sobre quem faz
o milagre. Depois de Marta fazer sua primeira afirmação de fé, Jesus disse:
“Seu irmão há de ressuscitar.”
Ela, por um momento, apontou para o futuro e
disse:
“eu sei que ele há de ressuscitar na ressurreição
no último dia.”

Sua fé estremece pela impossibilidade da situação. Mas, Jesus volta a atenção dela para
quem Ele é, ao dizer:
“Eu sou a ressurreição e a vida.”

Quem direciona a sua fé apenas para o milagre
em si, pode olhar para as circunstâncias em volta ou
para si mesmo e começar a descrer na promessa. Se
você não conhecer e levar em conta quem fez a promessa, terá dificuldade de crer nela.

Quem lhe prometeu a cura, é o Jeová Rafá,“o Senhor que cura”. Quem libera a provisão é o JeováJireh,“o Senhor é nossa provisão”. Quem vai trazer
vida onde há morte, é a própria Ressurreição e a
Vida. Quem fez a promessa é fiel para cumprir o que
prometeu! Aleluia!
Portanto,
“retenhamos inabalável a confissão da
nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa”
(Hb 10.23). Mantenha-se firme em sua fé por
causa de quem Deus é. Assim, você verá a glória de
Deus
advogado,Intercessor,medIador e sumo sacerdote
Ao encontrar Jesus, Marta também disse:
“Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu
irmão. Mas também sei que, mesmo agora, tudo
quanto pedires a Deus, Deus to concederá.”
(Jo11.21-22) Marta sabia que a presença de Jesus

correspondia à realidade do milagre. O que impressiona, porém, é o que ela diz na segunda parte de sua fala ao afirmar:
“Mesmo agora tudo quanto
pedires a Deus, Deus to concederá.”
Marta sabia que, se Jesus orasse, o Pai atenderia, independente da situação de seu irmão. Ela não estava baseando o milagre em seu relacionamento
com Deus, mas no relacionamento de Jesus com o
próprio Deus. Apesar de vacilar em sua fé em outro
momento, Marta nos dá um princípio importantíssimo para vivermos o sobrenatural. Milagres acontecem porque Jesus tem um relacionamento perfeito
com o Pai.
Devemos crer, obedecer, relacionar com o Pai,
enfim, termos uma postura de cristãos. Contudo,
nunca podemos esquecer de que é por Cristo, e não
por nós mesmos, que nossos mortos ressuscitam. A
fé e a postura cristã nos posicionam para recebermos, mas não são a causa da bênção. A causa é a graça de Deus, chamada Cristo.
Jesus em carne e osso, quando esteve nesta Terra, manifestava um relacionamento com o Pai tão maravilhoso que nenhuma de Suas orações era rejeitada. O próprio Jesus, antes de ressucitar Lázaro,disse:
“Pai, graças te dou porque me ouviste. Aliás, eu
sabia que sempre me ouves.”
(Jo11.41-42a)
Mas o que era bom, na Terra, ficou ainda melhor
quando Jesus ressuscitou e se assentou à direita de
Deus Pai no céu, pois, quando clamamos a Deus na
Terra, temos um intercessor no céu que clama por
nós. Sim, Jesus não foi para o céu e está lá assentado apenas recebendo adoração dos anjos. Ele poderia, mas não está fazendo isso.
“Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu
ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de
Deus e também intercede por nós.”
(Rm 8.34)
A palavra“interceder”, nesse texto, tem no original bíblico o significado de
“encontrar com alguém
para conversar a respeito de outra pessoa”.Aleluia!
Jesus se encontra com o Pai para conversar a respeito de nós! E é por causa dessa intercessão que somos abençoados.
A Bíblia chama Jesus de Sumo Sacerdote da nossa confissão (Hb 3.1). Assim como o sumo sacerdote no Antigo Testamento representava o povo diante
de Deus, Cristo hoje é o nosso representante, nosso intercessor. Sabemos que, uma vez por ano, o sumo sacerdote no Velho Testamento entrava no

Santo dos Santos com o sangue do sacrifício em
uma das mãos e com o incensário na outra. Como
Sumo Sacerdote, Jesus não entrou em um templo
construído por mãos humanas, mas no verdadeiro
tabernáculo no céu. E Ele também carregava consigo esses dois itens nas mãos: sangue e incenso. Não o sangue de animais, mas o Seu próprio sangue. É
o que o Pai estava vendo quando Jesus entrou no
céu. Veja a cena. O Filho de Deus ensanguentado
trazendo uma intercessão mais forte que palavras
ao adentrar no céu. Sacrifício. Feridas. Vida doada.
Nada mais precisa ser dito quando se vê um inocente sendo entregue por pecadores. Ao olhar Jesus, o Pai já vê uma mensagem de misericórdia por mim
e por você.
O sangue de Cristo fala mais do que o sangue de
Abel.
“E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao
sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.”
(Hb 12.24) O sangue de Jesus não é uma substância
sem expressão. Ele é um elemento comunicador. Ele
fala ao Pai. Sua mensagem é de perdão para todo o
pecador, de misericórdia sobre todo o necessitado,
de redenção para quem não tinha mais saída, de uma
morte consumada para que outros não morram.

Quando o sumo sacerdote entrava com sangue
no Santo dos Santos, ele tinha em sua roupa um
peitoral com doze pedras. Cada pedra representava
uma das tribos de Israel. Esse peitoral era preso em
uma éfode e ao cinto de forma inseparável. E, assim,
toda vez que o sumo sacerdote entrava para ministrar, o povo todo estava, de forma simbólica, sobre
ele. Para colocar a roupa toda, ele tinha de colocar
o povo sobre ele. O sumo sacerdote não podia fazer
nada sem ter o povo sobre ele.
Compreende a mensagem? A Igreja é mais do
que meras pedras cravadas em uma roupa, é o
próprio corpo de Cristo. Quando Cristo entrou na
presença do Pai, entramos junto com Ele. Jesus derramou o seu sangue no corpo. Não dá para o Pai ver Jesus sem que veja a misericórdia sobre o seu
corpo. Aleluia!
As marcas do sacrifício no corpo de Cristo intercedem por nós de forma silenciosa, declarando que nós somos perdoados e podemos viver a vida que
Ele morreu para nos dar. Por isso, Jesus também é
chamado de Mediador. O mesmo significa:
“Alguém que fica entre dois, seja a fim de estabelecer ou restaurar a paz e amizade, ou para firmar um pacto, ou para ratificar um acordo.”
O Mestre ficou entre a humanidade e Deus para que com o seu sangue restaurasse e estabelecesse a paz entre eles.
“Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus
e os homens, Jesus Cristo, homem.”
(1Tm 2.5) Só há um
mediador entre Deus e os homens, porque somente
Cristo pode ocupar essa posição. No seu próprio corpo Ele uniu a natureza humana e a divina. O texto destaca sua realidade humana porque o nosso mediador
tinha uma identificação conosco na carne, em que o
homem pecou e por isso nela morreu para fazer resgate na própria natureza que havia pecado. Mas, sua essência divina, garante que seu sacrifício é eterno.
O sangue de bodes ou de touros não podia purificar ninguém, pois os mesmos estavam carregados de uma essência passageira. O sangue de um animal,
assim como o de um homem, tem um caráter finito e
pode ser mensurado em uma quantidade específica.
Mas o sangue eterno não tem fim e nunca se esgotará.
O pecado que você cometeu há dez anos receberá o
mesmo sangue eterno que o pecado que ainda cometerá daqui a cinquenta anos. O sangue de Jesus nos garante que sempre haverá perdão para um coração arrependido.

É porque Jesus foi para o Pai que o Espírito Santo pode convencer o homem da justiça:
“da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais”
(Jo16.10). Hoje, homens só podem ser convencidos de
sua justiça, por que o meio da justiça de Deus chamado Jesus está diante do Pai. Não haveria base ao Espírito Santo para nos convencer que somos justificados e perdoados se a justiça do sangue de Jesus
não estivesse clamando junto ao Pai.
Com a perspectiva do sumo sacerdote do Velho
Testamento, Jesus é chamado também de Advogado.
“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para
que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos
Advogado, junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.”
(1Jo 2.1)
A palavra“advogado”só aparece no Novo Testamento dentro de um contexto grego-romano. Naquela época, os judeus precisavam de advogados
romanos porque eram ignorantes das leis romanas
e da linguagem romana. Então, esses advogados os
representavam nas cortes romanas diante de seus
juízes.
Temos junto ao Pai alguém que é do céu, conhece a linguagem e as leis celestiais e nos representa diante do justo Juiz. Nosso Advogado usará como
prova legal do nosso perdão o Seu próprio sangue,
justificando nossa absolvição e não nossa condenação. O diabo, nosso acusador (promotor), não terá o
que dizer mediante a tão grande evidência mostrada! Aleluia!
Além do sangue, o sumo sacerdote trazia consigo o incensário, de onde o incenso era liberado.
Incenso nas Escrituras é símbolo de oração e adoração do povo (Sl 141.2; Ap.8.3-5). Jesus é o sumo sacerdote da nossa confissão (Hb 3.1). Oração e
adoração são uma confissão no Senhor que cre
mos. Jesus traz para a presença de Deus o incenso
da nossa confissão. Jesus e seu sacrifício, como já
disse, são a única base para sermos atendidos. Mas,
quando oramos, damos a Ele incenso para que este
o apresente diante do Pai.
Evidentemente, Jesus não apresentará uma oração (incenso) ao Pai que não esteja de acordo com a natureza do sacrifício que Ele fez por nós. Diante
disso, precisamos crer que quando ligamos ou desligamos algo na Terra, orando em nome de Jesus,Cristo está ligando ou desligando no céu diante
do Pai. Creia que o clamor que fazemos aqui sai da
nossa boca na Terra, mas no céu quem o profere é
o Filho Amado, cuja oração o Pai nunca deixou de
atender.
“Por isso, também pode salvar totalmente os que
por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.”
(Hb 7.25)
Por esse motivo, mantenha firme a sua confissão. Não pare de crer, não desista de perseverar.
Lembre-se de que nossa confissão é incenso utilizado pelo nosso Sumo Sacerdote, juntamente ao seu próprio sangue, diante do Pai.
“Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande
sumo sacerdote, que penetrou os céus conservemos
firmes a nossa confissão.”
(Hb 4.14)


RELACIONAMENTO DE PAIS E FILHOS


O nosso Advogado, Intercessor, Mediador e
Sumo Sacerdote antes de tudo é o Filho de Deus,
que nessa condição tem harmonia perfeita com
a vontade do Pai. Seu trabalho por nós nunca se
desvia dos padrões que o próprio Pai estabeleceu.
Pautados neste relacionamento, de Pai e Filho, que
podemos, como Marta, clamar pelo sobrenatural.
Por um momento, imagine que você foi convidado para passar um dia com um pai e um filho que se amam muito. Por sua amizade com o filho, ele o
chama a passar um dia com o pai dele. Nesse dia,
você se encontra em um dos clubes que pertencem
ao pai do seu amigo e percebe que eles são muito
ricos. O pai é dono de uma das principais empresas
de avião do mundo. Mas o que o impressiona não é
a riqueza dessa família, mas sim o impressionante
amor do pai com o filho, e vice-versa. Comentários
como:
“Este filho só me dá orgulho”
;
“Eu só vivo para
ver um sorriso no meu pai”;
“Sempre procuro agradar
meu filho”são não apenas palavras, mas verdades
presentes em cada gesto de carinho e olhar entre
eles.
Depois desse dia agradável e de presenciar essa
relação que lhe chamou atenção, o seu amigo o
leva de carro para a sua casa. Antes de lhe deixar,
diz:
“Quero lhe dar um presente. Amanhã, passe no
guichê de nossa empresa e pegue uma passagem de
ida e volta para a França.”
Você, emocionado e semgraça por não possuir o dinheiro, fica atônito e pergunta:
“Como assim?”
O filho, então, explica:
“Quando eu sair daqui vou voltar para casa e pedirei ao meu
pai que libere sua passagem. Amanhã, então, basta
você ir em um guichê no aeroporto e dizer que está
indo em meu nome pegar a passagem e que o meu
pai já autorizou.”
Mesmo sem dinheiro, você abre
um sorriso cheio de confiança e chega no guichê
no dia seguinte e diz: ”Vim pegar minhas passagens
para a França em nome do filho do dono dessa empresa, uma vez que este já autorizou!”
Cada discípulo sabia que, pelo relacionamento
perfeito de Jesus com o Pai, tudo o que pedissem
em nome de Jesus, o Pai liberaria, pois Jesus foi ao
Pai para clamar por nós! Nossa vida sobrenatural só
existe por causa desta volta ao lar celestial de Jesus
para pedir ao Pai por nós. Ele disse:
“Em verdade, em verdade vos digo que aquele que
crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai.”
(Jo 14.12)
Obras sobrenaturais como as que Ele fez e ainda
maiores só são possíveis por que Ele foi para o Pai
para interceder por nós. A escassez do barco vira
abundância, água transforma-se em vinho, pães e
peixes multiplicam-se, e“Lázaros”só ressuscitam
em nossa história por que Jesus foi ao Pai. Por isso,
tenha ousadia para entrar no Santo dos Santos e
crer como Marta, pois
“Lázaros”costumam viverquando Jesus fala.


Texto adaptado do livro de Drumond Lacerda

notas
1-CHAPLIN, R. N. O Novo Testamento interpretado versículo por versículo. Volume 2. São Paulo, SP. Hagnos, 2002. p.466.
2-STRONG, James. Strong’s Exhaustive Concordance of the Bible. In: E-word: para sistema operacional Windows. Disponível em: http://www.esword.net.
3-BÍBLIA de Estudo Plenitude. Barueri, SP. So
ciedade Bíblica do Brasil. 2001. pg 1288.






 A ORAÇÃO MODELO




"Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á." (Lucas 11:9- e digam ao dono da casa:
 O Mestre pergunta: Onde é o salão de hóspedes no qual poderei comer a Páscoa com os meus discípulos?
 10- Ele respondeu: "Ao entrarem na cidade, vocês encontrarão um homem carregando um pote de água. Sigam-no até a casa em que ele entrar )


ALGUMA VEZ VOCÊ OUVIU UMA CONVERSA PARTICULAR? 

 Jesus, o maior combatente da oração, mostrou quando, como e sobre o que orar. Em um mundo hostil, separado da glória do Céu e da adoração dos anjos, Ele suportou solidão e tortura mental. Porém, Sua fonte de poder, como veremos, era a comunicação com a Sede.


O que é oração?

 É "a respiração da alma", "é a chave nas mãos da fé para abrir o celeiro do Céu, onde se acham armazenados os ilimitados recursos da Onipotência," e "é o abrir do coração a Deus como a um amigo". "Nossas orações terão a forma de uma conversa com Deus, como se falássemos com um amigo. Ele nos falará pessoalmente de Seus mistérios. Freqüentemente advir-nos-á um senso agradável e alegre da presença de Jesus. O coração arderá muitas vezes em nós, quando Ele Se achegar para comungar conosco, como o fazia com Enoque".


Ao estudar este tema, pergunte a si mesmo o que a oração fez por você.


A Vida de Oração de Jesus


 -( Lucas 3:21 e 22;-21 Quando todo o povo estava sendo batizado, também Jesus o foi. E, enquanto ele estava orando, o céu se abriu

 e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba. Então veio do céu uma voz: "Tu és o meu Filho amado; em ti me agrado". ),  diz que Jesus orou no princípio de Seu ministério público. O que Ele incluiu nessa oração?

 Que resposta Ele recebeu?


Os Evangelhos mostram Jesus orando em cada fase de Sua jornada para a cruz. Vamos caminhar com Ele por cada uma dessas fases para ver como a oração O encorajou e para aprender como Ele pode fazer o mesmo por nós.



Vida de oração de Jesus



Oração em geral
Lucas 5:15 e 16; Marcos 1:35
Lucas 5:15 Porém o que se dizia a seu respeito cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para o ouvirem e serem curadas de suas enfermidades.  
Lucas 5:16 Ele, porém, se retirava para lugares solitários e orava.  

A mais longa oração de Jesus registrada na Bíblia, Sua oração em João 17, conclui a instrução que Ele deu aos discípulos no Cenáculo e no Getsêmani. Alguns dizem que este é o capítulo mais profundo da Bíblia.


Jesus fala com o Pai(João 17)

 Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou:

Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste.

 Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

 Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.

 "Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique. E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.
Jesus ora pelos discípulos

 "Eu revelei teu nome àqueles que do mundo me deste. Eles eram teus; tu os deste a mim, e eles têm obedecido à tua palavra.

 Agora eles sabem que tudo o que me deste vem de ti.

 Pois eu lhes transmiti as palavras que me deste, e eles as aceitaram. Eles reconheceram de fato que vim de ti e creram que me enviaste.

9 Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus.

10 Tudo o que tenho é teu, e tudo o que tens é meu. E eu tenho sido glorificado por meio deles.

11 Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um.

12 Enquanto estava com eles, eu os protegi e os guardei no nome que me deste. Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição, para que se cumprisse a Escritura.

13 "Agora vou para ti, mas digo estas coisas enquanto ainda estou no mundo, para que eles tenham a plenitude da minha alegria.

14 Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou.

15 Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.

16 Eles não são do mundo, como eu também não sou.

17 Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.

18 Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.

19 Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade.
Jesus ora por todos os crentes

20 "Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles,

21 para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

22 Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um:

23 eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.

24 "Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que me deste porque me amaste antes da criação do mundo.

25 "Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste.

26 Eu os fiz conhecer o teu nome e continuarei a fazê-lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja".
« João 16 « João 17 » João 18 » 


Jesus fala com o Pai(João 17 )


 Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou:


 Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste.

 Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

 Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.

 "Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique. E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.
Jesus ora pelos discípulos

 "Eu revelei teu nome àqueles que do mundo me deste. Eles eram teus; tu os deste a mim, e eles têm obedecido à tua palavra.

 Agora eles sabem que tudo o que me deste vem de ti.

 Pois eu lhes transmiti as palavras que me deste, e eles as aceitaram. Eles reconheceram de fato que vim de ti e creram que me enviaste.

 Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus.

 Tudo o que tenho é teu, e tudo o que tens é meu. E eu tenho sido glorificado por meio deles.

 Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um.

 Enquanto estava com eles, eu os protegi e os guardei no nome que me deste. Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição, para que se cumprisse a Escritura.

 "Agora vou para ti, mas digo estas coisas enquanto ainda estou no mundo, para que eles tenham a plenitude da minha alegria.

 Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou.

 Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.

 Eles não são do mundo, como eu também não sou.

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.

 Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.

 Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade.
Jesus ora por todos os crentes

"Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles,

 para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

 Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um:

 eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.

"Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que me deste porque me amaste antes da criação do mundo.

 "Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste.

 Eu os fiz conhecer o teu nome e continuarei a fazê-lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja". 



( João 18)Jesus é preso




 Tendo terminado de orar, Jesus saiu com os seus discípulos e atravessou o vale do Cedrom. Do outro lado havia um olival, onde entrou com eles.








 Ora, Judas, o traidor, conhecia aquele lugar, porque Jesus muitas vezes se reunira ali com os seus discípulos.

3 Então Judas foi para o olival, levando consigo um destacamento de soldados e alguns guardas enviados pelos chefes dos sacerdotes e fariseus, levando tochas, lanternas e armas.

4 Jesus, sabendo tudo o que lhe ia acontecer, saiu e lhes perguntou: "A quem vocês estão procurando?"

5 "A Jesus de Nazaré", responderam eles. "Sou eu", disse Jesus. (E Judas, o traidor, estava com eles.)

6 Quando Jesus disse: "Sou eu", eles recuaram e caíram por terra.

7 Novamente lhes perguntou: "A quem procuram?" E eles disseram: "A Jesus de Nazaré".

8 Respondeu Jesus: "Já disse a vocês que sou eu. Se vocês estão me procurando, deixem ir embora estes homens".

9 Isso aconteceu para que se cumprissem as palavras que ele dissera: "Não perdi nenhum dos que me deste".

10 Simão Pedro, que trazia uma espada, tirou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha direita. (O nome daquele servo era Malco.)

11 Jesus, porém, ordenou a Pedro: "Guarde a espada! Acaso não haverei de beber o cálice que o Pai me deu?"
Jesus perante Anás

12 Assim, o destacamento de soldados com o seu comandante e os guardas dos judeus prenderam Jesus. Amarraram-no

13 e o levaram primeiramente a Anás, que era sogro de Caifás, o sumo sacerdote naquele ano.

14 Caifás era quem tinha dito aos judeus que seria bom que um homem morresse pelo povo.
Pedro nega Jesus

15 Simão Pedro e outro discípulo estavam seguindo Jesus. Por ser conhecido do sumo sacerdote, este discípulo entrou com Jesus no pátio da casa do sumo sacerdote,

16 mas Pedro teve que ficar esperando do lado de fora da porta. O outro discípulo, que era conhecido do sumo sacerdote, voltou, falou com a moça encarregada da porta e fez Pedro entrar.

17 Ela então perguntou a Pedro: "Você não é um dos discípulos desse homem?" Ele respondeu: "Não sou".

18 Fazia frio; os servos e os guardas estavam ao redor de uma fogueira que haviam feito para se aquecerem. Pedro também estava em pé com eles, aquecendo-se.
O supremo sacerdote interroga Jesus

19 Enquanto isso, o sumo sacerdote interrogou Jesus acerca dos seus discípulos e dos seus ensinamentos.

20 Respondeu-lhe Jesus: "Eu falei abertamente ao mundo; sempre ensinei nas sinagogas e no templo, onde todos os judeus se reúnem. Nada disse em segredo.

21 Por que me interrogas? Pergunta aos que me ouviram. Certamente eles sabem o que eu disse".

22 Quando Jesus disse isso, um dos guardas que estava perto bateu-lhe no rosto. "Isso é jeito de responder ao sumo sacerdote?", perguntou ele.

23 Respondeu Jesus: "Se eu disse algo de mal, denuncie o mal. Mas, se falei a verdade, por que me bateu?"

24 Então, Anás enviou Jesus, de mãos amarradas, a Caifás, o sumo sacerdote.
Pedro nega Jesus mais duas vezes

25 Enquanto Simão Pedro estava se aquecendo, perguntaram-lhe: "Você não é um dos discípulos dele?" Ele negou, dizendo: "Não sou".

26 Um dos servos do sumo sacerdote, parente do homem cuja orelha Pedro cortara, insistiu: "Eu não o vi com ele no olival?"

27 Mais uma vez Pedro negou, e no mesmo instante um galo cantou.
Jesus perante Pilatos

28 Em seguida, os judeus levaram Jesus da casa de Caifás para o Pretório. Já estava amanhecendo e, para evitar contaminação cerimonial, os judeus não entraram no Pretório; pois queriam participar da Páscoa.

29 Então Pilatos saiu para falar com eles e perguntou: "Que acusação vocês têm contra este homem?"

30 Responderam eles: "Se ele não fosse criminoso, não o teríamos entregado a ti".

31 Pilatos disse: "Levem-no e julguem-no conforme a lei de vocês". "Mas nós não temos o direito de executar ninguém", protestaram os judeus.

32 Isso aconteceu para que se cumprissem as palavras que Jesus tinha dito, indicando a espécie de morte que ele estava para sofrer.

33 Pilatos então voltou para o Pretório, chamou Jesus e lhe perguntou: "Você é o rei dos judeus?"

34 Perguntou-lhe Jesus: "Essa pergunta é tua, ou outros te falaram a meu respeito?"

35 Respondeu Pilatos: "Acaso sou judeu? Foram o seu povo e os chefes dos sacerdotes que o entregaram a mim. Que foi que você fez?"

36 Disse Jesus: "O meu Reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem. Mas agora o meu Reino não é daqui".

37 "Então, você é rei!", disse Pilatos. Jesus respondeu: "Tu dizes que sou rei. De fato, por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem".

38 "Que é a verdade?", perguntou Pilatos. Ele disse isso e saiu novamente para onde estavam os judeus, e disse: "Não acho nele motivo algum de acusação.

39 Contudo, segundo o costume de vocês, devo libertar um prisioneiro por ocasião da Páscoa. Querem que eu solte 'o rei dos judeus'?"

40 Eles, em resposta, gritaram: "Não, ele não! Queremos Barrabás!" Ora, Barrabás era um bandido. 


"Na abertura de Sua oração (v. 1) e três vezes mais tarde (vs. 5, 21 e 24) Cristo chama Deus de Pai. ...


"E esse nome dá a atmosfera de toda a oração. Ouvindo, aprendemos como a oração é natural, com que simplicidade podemos voltar-nos a Deus, certos de Seu interesse em nós e de Sua amorosa bondade para conosco; na garantia feliz de que Ele certamente fará por nós tudo o que o próprio Deus pode fazer, e isso, alegremente e de boa vontade. Cristo falava com Deus face a face, como um homem com seu amigo, como um filho com seu pai, reverente e humildemente".


Pedro, Eu Orei Por Você - Lucas 22:31, 32 e 40-46; 23:34


É quinta-feira à noite, poucas horas antes da prisão e do julgamento de Jesus. Jesus está comendo a Páscoa com Seus discípulos. Ele os adverte que um deles deverá traí-Lo e que todos O abandonariam (Lucas 22:14- Quando chegou a hora, Jesus e os seus apóstolos reclinaram-se à mesa. 62- Saindo dali, chorou amargamente. ).


Que mensagem especial Jesus tinha para Pedro? Lucas 22:31 e 32


Considerando a força do grego original, podemos dizer que Satanás exige ter cada um de nós. Ele perdeu o Céu e a vida eterna para ganhar este mundo, e luta para iludir cada um de nós e firmar-nos em suas garras. Jesus, porém, contesta essa reivindicação. Ele ganhou o direito de salvar a todos (João 1:29 No dia seguinte, João viu Jesus aproximando-se e disse: "Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! ; Rom. 5:18 Consequentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. ). Ele orou ardentemente por Pedro (Lucas 22:31 e 32 "Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo.32- Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E, quando você se converter, fortaleça os seus irmãos". ). Essas orações deram coragem a Pedro para enfrentar o momento mais escuro de sua vida.


Em seguida, nossa viagem nos leva a testemunhar Jesus orando no Jardim do Getsêmani. Leia( Lucas 22:39-44)(39- Como de costume, Jesus foi para o monte das Oliveiras, e os seus discípulos o seguiram. 44-Quando se levantou da oração e voltou aos discípulos, encontrou-os dormindo, dominados pela tristeza.  ). Uma vez mais, apesar de grande angústia, nós O ouvimos chamar Deus de Pai, indicando que, apesar de o restante de Sua jornada ocorrer em meio a grande tumulto, Ele ainda confia no plano divino.


A oração de Jesus em Lucas 22 assinala o risco que às vezes corremos quando oramos. Se realmente formos sinceros quando orarmos "contudo, não seja feita a Minha vontade, mas a Tua" (v. 42, 42 "Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua". ), devemos estar prontos para beber o cálice que Ele coloca em nossas mãos, mesmo que seja amargo. Lembre-se, porém, de que da mesma maneira como Deus enviou um anjo, "não... para tomar-Lhe o cálice das mãos, mas para fortalecê-Lo a fim de que o bebesse", assim Ele nos fortalecerá.


A vida de oração de Jesus seguiu um padrão que todos podemos seguir. Ele enfrentou antecipadamente cada crise com oração. Antes de avançar para encontrar Seus inimigos ou para enfrentar um julgamento injusto, humilhação, tortura e morte, Ele travou a batalha em oração. Então, Ele estava capacitado a avançar calmamente como um vencedor para enfrentar Seus inimigos.


Por que podemos dizer que a oração de Jesus em( Lucas 23:34- Jesus disse: "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo". Então eles dividiram as roupas dele, tirando sortes. ) expressa a essência do cristianismo?


"Ensina-nos a Orar"


 -( Lucas 11:1-4)( 1- Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: "Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele".-4 Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cair em tentação". )Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: "Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele".




Os discípulos de Jesus ficavam profundamente impressionados quando O observavam interceder com Deus antes de atender às multidões diariamente. Eles queriam ter o mesmo tipo de relacionamento com Deus. Então, pediram: "Senhor, ensina-nos a orar". Jesus atendeu ensinando-lhes a "Oração do Senhor". Leia( Lucas 11:2-4)(2 Ele lhes disse: "Quando vocês orarem, digam: " Pai! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino.
-4 Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cair em tentação". .


A Oração do Senhor tem duas partes: a primeira trata da glória de Deus, a segunda, das necessidades humanas. Cada seção tem três partes. As primeiras três são petições no interesse de Deus, de Seu reino, e de Sua vontade. As três seguintes são pedidos de alimento, perdão e proteção.


"Santificado seja o Teu nome." Embora possamos ter familiaridade com Deus como um filho com seu pai, devemos sempre colocar-nos em reverência perante Sua assombrosa majestade. Os seres que estão mais próximos ao trono no Céu inclinam sua face diante dEle (Apoc. 19:4 Os vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, e exclamaram: "Amém, Aleluia!").


"Venha o Teu reino. Faça-se a Tua vontade, assim na Terra como no Céu". Devemos ter pressa pelo fim do reino do mal, quando Jesus será Rei dos reis e Senhor dos senhores e assumirá Seu grande poder para reinar (Apoc. 11:15-17-(15) O sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve fortes vozes nos céus, que diziam: "O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre".( 17) dizendo: "Graças te damos, Senhor Deus todo-poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e começaste a reinar. ). "Seja feita Tua vontade" significa primeiro que a vontade de Deus se tornará a nossa, e segundo, que nosso mundo torturado se tornará sujeito à Sua vontade.


"Dá-nos Hoje" -( Mat. 6:11- Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.6: 13- E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.) 


A segunda metade da oração-modelo de Jesus enfatiza nossas necessidades. O que significa "o pão nosso de cada dia"? 

(Mat. 6:11- Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.) Mas, quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.Mat. 6:13- E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.  )


Este pedido é muito adequado a regiões do mundo onde a tarefa de fornecer comida a uma família faminta é uma luta constante. Nosso Pai ouve esses pedidos de ajuda. E os cristãos podem ajudar a atender a essas orações.


"Pão de cada dia" inclui todas as nossas necessidades humanas, especialmente uma provisão diária de pão espiritual (João 6:35 Então Jesus declarou: "Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede. ).


6. Que outro pedido devemos fazer ao Senhor enquanto oramos?( Mat. 6:12 Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. );( Lucas 11:4- Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cair em tentação". )


Este pedido baseia-se na tradição de perdoar as dívidas durante o ano sabático (Deut. 15:1 e 2)(-1 "No final de cada sete anos as dívidas deverão ser canceladas.

2 Isso deverá ser feito da seguinte forma: todo credor cancelará o empréstimo que fez ao seu próximo. Nenhum israelita exigirá pagamento de seu próximo ou de seu parente, porque foi proclamado o tempo do Senhor para o cancelamento das dívidas. ).

 O ano sabático de libertação é um tipo do "ano aceitável do Senhor" (Lucas 4:18 e 19(-18 "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas-novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos-19 e proclamar o ano da graça do Senhor".  ), quando Jesus, por Sua graça, nos liberta das dívidas, concedendo o perdão dos pecados. Aqueles que estavam esmagados pela opressão da dívida conhecem a alegria da libertação. Devemos experimentar o mesmo alívio e gratidão quando Jesus perdoa nossos pecados.


Em Mateus( 18:23-35 (23 "Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos.) (35 "Assim também fará meu Pai celestial a vocês se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão". ), Jesus declarou que é uma ofensa criminosa reter o perdão de um semelhante. A indisposição para perdoar – o ressentimento, o ódio, uma atitude vingativa – envenena a pessoa que abriga, amargurando as fontes da vida e trazendo doença mental e física. Por nosso próprio interesse, bem como pelo do ofensor, devemos perdoar.


Os Princípios de Oração de Jesus - (Lucas 11:5-13)-(5 Então lhes disse: "Suponham que um de vocês tenha um amigo e que recorra a ele à meia-noite e diga: 'Amigo, empreste-me três pães,13 Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está nos céus dará o Espírito Santo a quem o pedir!")  -(18:1-14:)(1- Então Jesus contou aos seus discípulos uma parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.14 "Eu digo que este homem, e não o outro, foi para casa justificado diante de Deus. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado" )


Lucas 11:9( "Por isso digo: Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta. ). O grego enfatiza a perseverança na oração. "Continue pedindo", "continue buscando", "continue batendo", e seu Vizinho divino abrirá a porta e lhe dará o que você precisa.


"As pessoas às vezes podem pensar em Deus como Alguém que preferiria não ser aborrecido pelas pessoas, mas Seu verdadeiro caráter como um Pai solícito, amoroso e generoso está claramente demonstrado nos vs. 9-13. A relutância do amigo em levantar-se e prover o que era necessário de maneira alguma representa a Deus. ..


"Nosso Salvador identificou-Se com nossas necessidades e fraquezas, tornando-Se um suplicante, um solicitador junto de Seu Pai, para buscar dEle novos suprimentos de força, a fim de que pudesse sair revigorado para os deveres e provações. Ele é nosso exemplo em todas as coisas. É um irmão em nossas fraquezas, pois ‘como nós, em tudo foi tentado’ (Heb. 4:15-pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.4:16 -Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. ); mas, sem pecado como era, Sua natureza recuava do mal; suportou lutas e agonias de alma num mundo de pecado. Sua humanidade tornou-Lhe a oração uma necessidade, e privilégio. Encontrava conforto e alegria na comunhão com o Pai. E se o Salvador dos homens, o Filho de Deus, sentia a necessidade de orar, quanto mais devemos nós, débeis e pecaminosos mortais que somos, sentir a necessidade de fervente e constante oração!" – (Caminho a Cristo).


A oração é a linha de força entre a Terra e o Céu, ligando-nos à mente e ao poder de Deus e nos permite comunicar-nos com Ele como com um amigo. Mediante constante ligação com Ele, podemos superar provações, vencer tentações e repartir as bênçãos do Céu com outros.








Vale do Cédron.





A Cidade Antiga de Jerusalém, como visto pelo Vale do Cédron.





 Vale do Cédron 



O Vale do Cédron (em hebraico: נחל קדרון, em árabe: وادي الجز, "escuro") é um vale próximo de Jerusalém, descrito pela Bíblia como tendo grande significado. Também é chamado de Vale da Torrente do Cédron, devido a um fluxo continuo de correntes de águas por ocasião de enchente repentina nos meses de inverno chuvosos. Atualmente o nome dado à sua parte inferior, Uádi en-Nar ou Wadi al-Joz ("uádi de fogo"), indica que é quente e seco na maior parte do tempo.
O Vale do Cédron se estende ao longo do muro oriental de Jerusalém, separando o Monte de Templo do Monte das Oliveiras. Continua ao leste pelo Deserto da Judeia, em direção ao Mar Morto. O assentamento israelense de Kedar está situado num cume sobre o vale. O bairro de Wadi al-Joz recebe o nome de árabe do vale.

O Vale é o local de muitos túmulos judaicos, inclusive o Pilar de Absalão, a tumba de Bene Hezir, e o Túmulo de Zacarias. Certa vez, a água da Fonte de Giom fluiu pelo vale, mas foi desviada pelo Túnel de Ezequias para prover água a Jerusalém. Atualmente permanece sem água mesmo no inverno.




Nenhum comentário:

Postar um comentário